Apresentação / About us

A Revista Trágica: estudos de filosofia da imanência, criada em 2008, é uma publicação oficial, de periodicidade quadrimestral (a partir de 2014), do Grupo de Pesquisas Spinoza & Nietzsche: estudos de filosofia da imanência (SpiN) e do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGF-UFRJ). Temos por missão publicar artigos originais,  resenhas e traduções, escritos por doutores, mestres ou pós-graduandos em Filosofia do Brasil e do exterior que versem sobre as filosofias que recusam a transcendência à physis, em nome da afirmação de um pensamento da imanência. Buscamos promover o debate entre pesquisadores, através de um espaço acadêmico democrático e de qualidade.

Criada por integrantes  do corpo discente do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UFRJ (PPGF-UFRJ) e do Grupo de Pesquisas Spinoza & Nietzsche (SpiN), tornou-se oficialmente vinculada a ambas instituições no Vol.3 Nº02,  quando o expediente da revista foi reestruturado. Até o volume 6 a Revista Trágica era especializada em Nietzsche, tendo como subtítulo “Estudos sobre Nietzsche” e sendo semestral. A partir do volume 7 (ano 2014) ela passou a ter como subtítulo “Estudos de filosofia da imanência” passando a abarcar pesquisas sobre quaisquer autores que se enquadrem na designação e tendo regularidade quadrimestral de publicação.

Para conhecer as transformações na comissão e conselho editoriais, clique no link “expediente desta edição” disponível em cada número publicado. A primeira edição foi lançada no 1º semestre de 2008, na forma de uma edição comemorativa, com vários artigos de autores convidados. A partir do Vol.1 Nº2 realizamos sempre chamada pública de artigos.

No Vol.3 Nº1 elaboramos novas regras para publicação. Com a intenção de adotar o padrão internacional dos estudos Nietzsche e de facilitar o diálogo com outros periódicos brasileiros dedicados àquele filósofo, modificamos nosso quadro de siglas. Antes das siglas em português, incluímos as siglas em alemão, separando-as por uma barra. Para que os leitores dos dois primeiros volumes possam compreender as regras antigas, informamos que:

(i) a sigla de Humano, demasiado humano, vol.1 era HH;

(ii) as siglas das quatro Considerações extemporâneas eram, para David Strauss, o devoto e o escritor: CE.1; para Da utilidade e desvantagem da história para a vida: CE.2; para Schopenhauer como educador: CE.3 e para  Richard Wagner em Bayreuth: CE.4.

A partir do Vol. 7 N.º1 deixamos de adotar qualquer quadro de siglas. Para que os leitores do terceiro, quarto, quinto e sexto volumes possam localizar as referências, sugerimos acessar o antigo quadro de siglas, clicando aqui.

 

 

FireStats icon Produzido pelo FireStats